Câmpus de Gurupi é apresentado na Escola de Canuanã em Formoso do Araguaia
  • Segunda-feira, 06 de Novembro de 2017 as 08h 19m
  • Segunda-feira, 06 de Novembro de 2017 as 08h 25m
  • Imprimir
  • Por Samuel Lima | Publicado: Sexta, 03 de Novembro de 2017, 11h02

Câmpus de Gurupi é apresentado na Escola de Canuanã em Formoso do Araguaia

Visita à Escola de Canuanã (Fundação Bradesco) ocorreu na última terça-feira (31) - Foto: Valney Valdevino/Divulgação

Os cursos de graduação e pós-graduação, os modos de acesso e também as possibilidades de permanência no Câmpus da Universidade Federal do Tocantins em Gurupi foram apresentados esta semana a estudantes da Escola de Canuanã, da Fundação Bradesco, na cidade de Formoso do Araguaia. Direção do Câmpus, docentes, técnicos e estudantes da UFT em Gurupi e que são egressos da Escola de Canuanã participaram da visita na última terça-feira (31).

A diretora pedagógica da Fundação Bradesco, Gislaine Maciel de Almeida Peres, destacou que a presença de representantes da Universidade à escola foi muito importante. "A Fundação Bradesco busca esse trabalho de mostrar para os alunos as possibilidade; quando a Universidade vem à escola traz uma possibilidade muito grande. Esse contato direto com o profissional é muito importante. Historicamente os alunos acham muito difícil ir para a universidade, mas quando temos alunos que saíram daqui e mostram que venceram e falando de possibilidades, isso abre o campo de visão dos alunos e torna mais próximo aquilo que parecia tão difícil", pondera. A diretora complementa afirmando que a aproximação com as universidades, desta forma, dá uma nova dimensão para os alunos e o aproxima do ensino superior.

O diretor do Câmpus de Gurupi, Gil Rodrigues, enfatizou que a expectativa é que os alunos da Escola de Canuanã sejam os futuros acadêmicos na UFT em Gurupi, tendo em vista que os cursos de graduação do Câmpus - Agronomia, Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia, Engenharia Florestal e Química Ambiental - têm afinidades com o que os estudantes de Canuanã aprendem. "Divulgamos também o que temos no Câmpus em relação à parte acadêmica, das pesquisas e também da extensão. Esperamos que eles escolham estudar na UFT, até porque o ensino é gratuito e temos um excelente quadro docente - a maioria com doutorado nas áreas específicas. Esperamos que eles sejam nossos futuros alunos", disse o diretor.


Visita à Escola de Canuanã (Fundação Bradesco) ocorreu na última terça-feira (31) - Foto: Valney Valdevino/Divulgação

Egressos e a experiência em nível superior

O professor Douglas Azevedo Castro, coordenador do curso de Química Ambiental, é aluno egresso da Escola de Canuanã. Ele destacou que voltar à Escola e compartilhar sua experiência foi importante, como forma de incentivo a que os alunos prossigam os estudos acadêmicos em nível superior. "Eles podem, sim, fazer uso dos conhecimentos para melhorar as próprias condições de vida. Esperamos ter lançado uma semente do que eles podem fazer e, além de falar sobre os cursos, foi interessante falar das opções que eles têm para conseguir os auxílios visando a permanência na universidade. O acesso não é tão complicado quanto se imagina", enfatizou.

A estudante de Agronomia Leydinária Pereira da Silva é também aluna egressa da Fundação Bradesco. Ela destacou a qualidade do ensino nas duas instituições e também partilhou de suas experiências com os alunos da unidade educacional. "Ser egressa dessa escola me proporcionou bastante coisas boas, dentre eles ingressar no curso de Agronomia na Universidade Federal do Tocantins. O ensino que é proporcionado na mesma é de excelente qualidade", ressaltou.

Permanência e apoio

A representante do Serviço de Apoio Social e Psicopedagógico do Câmpus de Gurupi, a enfermeira Camila Rodrigues de Melo Martins, também participou da visita, e falou sobre a Política Nacional de Assistência Estudantil (Pnaes). "Os ingressantes da UFT possuem um apoio social e econômico através de auxílios, quando há a comprovação de uma determinada vulnerabilidade conforme edital específico aberto regularmente pela PROEST. Pontuamos o auxílio moradia; auxílio eventos, fornecido para custear passagem e diária para que o estudante possa apresentar trabalho fora do domicílio; auxílio saúde para acompanhamento psicológico, neurológico e psiquiátrico; o auxílio alimentação, que o aluno pode ser isento em 50 ou 100 % no valor das refeições no RU e o Bolsa Permanência, que é um auxílio para ampliar a inclusão social do aluno e assim garantir a permanência do acadêmico na universidade", destacou.

A técnica administrativa Rosana Augusta Daronch, que é da Secretaria Acadêmica do Câmpus, falou sobre as formas de acesso à UFT. "A Universidade precisa se aproximar da sociedade para compartilhar tudo que lá é produzido. Essa visita à Escola de Canuanã vem ao encontro dessa necessidade. Apresentamos aos alunos as atuais formas de ingresso na UFT para que, conhecendo os cursos e as formas de entrada eles possam, desde já, decidir e se organizar para os processos seletivos", enfatizou.


Visita à Escola de Canuanã (Fundação Bradesco) ocorreu na última terça-feira (31) - Foto: Valney Valdevino/Divulgação

Divulgação

Os professores Fernando Machado Haesbaert (representando o curso de Agronomia), Gabriel Zanatta (Engenharia Florestal) e Talita Pereira de Souza Ferreira (Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia, também destacaram a importância da visita técnica à escola. "Essa divulgação dos cursos é estratégica para a região próxima de Gurupi, principalmente nessa escola que tem foco bastante rural. Muitos deles já são alunos no Câmpus de Gurupi. Por conta dessa vivência no meio rural que eles têm eles conseguem captar os conceitos do curso de Agronomia com uma facilidade bastante superior que os demais alunos", disse Haesbaert, enfatizando que a divulgação também serve como motivação para que eles possam continuar os estudos e se desenvolverem na graduação e pós-graduação.

Zanatta, destacou o papel fundamental da Universidade em apresentar os serviços prestados às comunidades de seu entorno. "Devemos sempre lutar pela melhor execução do serviço público, pela democratização do acesso à universidade e isto passa pela divulgação de todos os processos, com o intuito de dirimir eventuais dúvidas que surjam", ressaltando o grande potencial ambiental que a região têm e de como o curso (Engenharia Florestal) atende à demanda. Professora Talita (Engenharia de Biorprocessos e Biotecnologia) falou sobre as possibilidades que os estudantes têm para investir tanto na carreira acadêmica quanto profissionalmente no mercado de trabalho. "São oportunidades não só no Tocantins, mas no Brasil como um todo. Há bons professores que pode auxiliar nesta caminhada e auxiliar na escolha do que se pode fazer na graduação e quanto também a terminarem. (colaborou Valney Valdevino / Relações Públicas do Câmpus de Gurupi)

UFT - Campus Universitário de Gurupi - TO
© 2017 - Núcleo de Tecnologia da Informação, todos os direitos reservados.